Eduardo Coudet: ''Não foi agradável ter que sacar Lindoso''

Treinador destacou a vitória do colorado como a melhor atuação do ano e falou sobre alterações na escalação do Inter.

Eduardo Coudet: ''Não foi agradável ter que sacar Lindoso''
Foto: Max Peixoto

O Internacional venceu a Universidad Católica por 3 a 0 na estreia da fase de grupos da Libertadores e empolgou o torcedor. Com um show de bola, o colorado dominou a partida e ficou o tempo todo em cima da equipe chilena. Duas vezes com Guerrero e uma com Marcos Guilherme, o Inter consegue um excelente começo na Copa, fazendo um saldo que pode ser muito necessário no futuro.

Após a partida, Eduardo Coudet concedeu entrevista coletiva e elogiou a partida do colorado. Coudet afirmou que foi a melhor partida do grupo e que isso é fruto da dedicação, do trabalho e da paciência do elenco em assimilar a ideia nova de jogo, relatos que o argentino já vinha falando há muito tempo. O comandante ainda assinalou que sua ideia não foi absorvida completamente, mas que a noção de equilíbrio está presente nos treinos da equipe.

E justamente este equilíbro que pautou toda a entrevista. Chacho afirmou que a equipe que vinha jogando até então, um pouco mais defensiva, foi escolhida por segurança, uma vez que os jogadores ofensivos não haviam assimilado totalmente as novas funções: "estamos melhorando, tendo um melhor entendimento da ideia e da forma. Me agrada muito ter gente de ataque, mas há um processo para que esse pessoal passe a exercer uma função. Hoje foi um grande jogo, mas há coisas para melhorar".

O treinador também comentou sobre as mudanças no time para a partida. A entrada de Galhardo no lugar de D'Alessandro foi elogiada e o argentino afirmou que o atacante é importante para o elenco e que pode ser titular dependendo daquilo que o Inter precisar para determinada partida. Sobre a ausência de Lindoso, Chacho revelou um aperto no coração: Há uma competição saudável porque temos um bom grupo, que trabalha muito bem, que desfrutam do dia a dia e depois estou aqui para fazer o melhor para o grupo, para o Inter. Não foi agradável ter que sacar Lindoso, mas creio que foi o melhor para a partida de hoje".

Outra constante na entrevista do treinador foi sua capacidade de alterar a equipe quando necessário. Em diversos momentos, Coudet afirmou que busca escalar o time de acordo com o que a partida seguinte necessita. Foi dito em relação à titularidade de Galhardo, à escalação de Lindoso e também em momentos específicos: "penso em cada jogo e a partir daí vou pensar nesses nomes. Não penso nos jogadores em individual. Nem D’Alessandro, Guerrero, Cuesta. Penso em quem está melhor para iniciar cada jogo ou nas necessidades deste jogo".

Uma novidade no ano do colorado é Bruno Praxedes e o atleta não ficou de fora da coletiva do técnico. Após ter recentemente elogiado o jovem, Coudet botou Praxedes no jogo no lugar de Cuesta e depois explicou: "A troca do cuesta foi pelo cartão e quis cuidar para que não sofresse uma expulsão. Era um jogo ideal para um jovem entrar e se sentir confortável com alguns minutos. Gosto dele e quando tiver possibilidade de dá-lo minutos, farei isso".

O Internacional de Eduardo Coudet volta a entrar em campo neste domingo, às 19h no estádio Beira-Rio, contra o Brasil de Pelotas. Já pela Libertadores, o colorado vai até a Arena enfrentar o Grêmio no primeiro Gre-Nal válido pela Copa Libertadores, dia 12.