Retrospectiva colorada - Pentacampeão e a base vem forte

Retrospectiva colorada - Pentacampeão e a base vem forte
Foto: Max Peixoto

E o ano não poderia ter começado melhor! No dia 25 de janeiro, aniversário da capital paulista, o Internacional bateu o Grêmio nas penalidades e se consagrou pentacampeão da Copa SP de Futebol Júnior. Após uma bela campanha, o colorado saiu da competição não somente com o título, mas com atletas de imenso potencial para ser utilizados por Eduardo Coudet.

A competição começou logo no dia 3 de janeiro com vitória colorada. Vitória, não: goleada. 3 a 0 pra cima do Confiança da Paraíba. Gols de Cesinha, Tiago Barbosa e Bruno Praxedes. Essa foi apenas uma amostra do trio que passaria a ser protagonista ao longo dos próximos 23 dias. Cesinha e Praxedes dominaram o meio de campo colorado. Camisa 10 e 8, respectivamente, os atletas tiveram destaque pelo alto volume de jogo que passava pelos seus pés. Os dois combinaram para 5 gols, mas sua importância foi além deste número. Chances criadas, recomposição sólida, intensidade. Os guris fizeram de tudo. Já Tiago Barbosa foi um paredão na defesa. Com 19 anos, o zagueiro de 1,94 se mostrou completo, até mesmo balançando as redes.

A fase de grupos se encerrou com mais uma goleada, dessa vez pra cima do Linense - com dois gols de Caio e um de Nicolas -, e um empate sem gols contra o Capivariano. Entrando nas disputas de mata-mata, o Inter enfrentou o Volta Redonda e saiu com o placar magro: 1 a 0 após cobrança de pênalti de Matheus Monteiro. Tiago Barbosa havia marcado o seu segundo gol na competição, mas o árbitro anulou.

O jogo seguinte ficou pautado por algumas mudanças. O zagueiro Pedro Henrique foi chamado por Eduardo Coudet para realizar a pré-temporada com a equipe principal, se juntando a Victor Cuesta, Rodrigo Moledo e Roberto - Bruno Fuchs fora convocado para a Seleção Brasileira. Além disso, o volante Murilo e o ponta Guilherme Pato assumiram a titularidade. Com o placar de 2 a 1, o colorado bateu o Desportivo Brasil. Matheus Monteiro abriu o placar de pênalti e Léo Ferreira finalizou a vitória após ótima jogada de Pato.

Após uma partida difícil nas oitavas, o Inter bateu o Red Bull Brasil nos pênaltis e seguiu para o embate contra o Botafogo de São Paulo. Bruno Praxedes abriu o placar com um golaço e Cesinha fechou o placar após um belo cruzamento de Lucas Mazetti. 2 a 0 e a classificação para a semi.

A expectativa era alta antes do confronto contra o Corinthians, mas o colorado tirou de letra. Na sua melhor partida na competição, o Celeiro de Ases saiu de campo com a vitória por 3 a 1 em noite inspirada de Guilherme Pato. O ponta abriu o placar e deu assistência para Matheus Monteiro ampliar. Pato saiu para a entrada de Nicolas, que assumiu a responsabilidade e marcou o gol colorado mais bonito da competição. Uma pintura da intermediária. Apesar da vitória, Lucas Mazetti saiu lesionado de campo e virava dúvida para a final. Equipe classificada, tudo certo para o Gre-Nal na decisão.

A esta altura, Matheus Monteiro e Cesinha se isolaram como artilheiros do time com 3 gols cada. Lucas Mazetti atingira a meta de 3 assistências e Guilherme Pato era uma grata surpresa na campanha colorada. Melhor em campo contra o Corinthians, Pato seria o salvador na final.

Domingo, dia 25, aniversário de São Paulo mas clássico dos gaúchos. A bola começa a rolar no Pacaembu e o Grêmio é quem vai para cima, esbarrando em Tiago Barbosa, soberano na defesa. O Inter foi pra cima pelas pontas mas não conseguiu abrir o placar. Intervalo. Na volta, o Grêmio consegue abrir o marcador logo aos 7 após desvio em Tiago Barbosa, mas os destaques não acabaram tão cedo. O zagueiro Alison Calegari subiu no alambrado para comemorar e recebeu o segundo cartão amarelo.

E não demorou muito para o Inter ir para o ataque. Poucos minutos após a confusão, o colorado chegou pela esquerda, com bela jogada de Matheus Monteiro que tocou para Guilherme Pato apenas empurrar para o fundo das redes. Jogo empatado no estádio Pacaembu e assim se seguiu até o final. Mesmo com muitas chances para cada lado, o árbitro deu o último apito aos 50 e encaminhou a partida para as penalidades máximas.

Matheus Monteiro, dono de dois gols de pênalti na competição, errou a primeira batida. Na sequência, foi a vez do Grêmio errar. Os zagueiros do Inter assumiram a bronca e soltaram a bucha. Resultado de 3 a 1 nas penalidades e Internacional campeão. O quinto título da equipe e muitos jovens de talento acima da média.

Passada a euforia do pentacampeonato, Eduardo Coudet chamou Tiago Barbosa, Carlos Eduardo e Bruno Praxedes para comporem o time principal. Cesinha, Matheus Monteiro e Guilherme Pato ingressaram em uma esquema de revezamento entre treinar com o Sub-20 e com o time profissional.

Avançando para o dia de hoje, destes 7 jogadores, o mais aproveitado foi Bruno Praxedes. O meia atuou em 5 partidas, sendo uma delas pela Copa Libertadores. Além disso, o jogador já recebeu elogios de Eduardo Coudet. Pedro Henrique foi outro que agradou Chacho, tendo sido o primeiro a subir e, juntamente com Praxedes, o único a ser relacionado para a Libertadores. Carlos Eduardo e Guilherme Pato cresceram dentro do clube, enquanto Matheus Monteiro não foi utilizado ainda. Cesinha fez um trabalho de reforço muscular e agora está treinando junto ao time profissional.

Todos estes jogadores se juntam a uma gama de jovens jogadores presentes no plantel colorado. São eles Johnny, Bruno Fuchs, Heitor, Nonato, Sarrafiore, Erik, Roberto, Zé Gabriel, José Aldo, Juliano Fabro e João Peglow. Apenas para destacar alguns nomes:

  • Bruno Fuchs é titular com 20 anos; 

  • Johnny, de 18 anos, participou de 6 partidas, sendo duas da Libertadores;

  • Zé Gabriel (21) foi recuado para a posição de zagueiro e vestiu a camisa em 5 oportunidades;

  • Heitor perdeu espaço com as chegadas de Rodinei e Saravia, mas segue sendo uma boa opção para Chacho.

  • João Peglow foi promovido à equipe principal com apenas 17 anos, mas teve uma lesão na coluna e deve ficar à disposição logo menos.

  • Sarrafiore e Nonato já são praticamente veteranos no elenco, com 22 anos cada.

O colorado mostra-se cada vez mais bem servido nas categorias de base. A extinção do “Inter B” garantiu ainda mais autonomia e dedicação para as categorias Sub-20 da equipe e Coudet já deu a entender que vai utilizar os jovens. Caso o colorado avance nas competições, os conflitos de agenda farão com que haja uma grande rotatividade de elenco e, ao que tudo indica, a gurizada consegue segurar a barra.