segunda-feira, 18/01/2021
Início Futebol Gaúcho Baú do Bairrista: O ano da volta do Juventude

Baú do Bairrista: O ano da volta do Juventude

O Juventude iniciou a década em seu pior momento da história, campeão da Copa do Brasil em 1999, o clube da serra em 2011 estava afundado na Série D, após rebaixamentos seguidos por competições nacionais. A volta do orgulho para o Papo se iniciou justamente em 2013, no ano do centenário do clube. O planejamento para um ano bem sucedido em 2013, começou na segunda metade de 2012. Após ser eliminado da Série D e ficar sem vaga para a disputa nacional do ano seguinte, Lisca doido chegou ao clube pressionado para conquistar a Copa FGF, o título daria vaga ao Juventude para disputar novamente a quarta divisão no ano seguinte. E em uma final vibrante contra o Brasil de Pelotas, o Jaconero se sagrou bicampeão da competição, iniciando a caminhada para o centenário.

100 anos de Juventude, um novo ano era iniciado cercado de expectativas gigantes entre os torcedores e a imprensa. O Papo tinha como principal objetivo conquistar o acesso para a Série C, mas o campeonato gaúcho era decisivo para criar um elo de confiança com a torcida. Porém, a temporada começou tensa para a equipe de Lisca. O Juventude não se acertou no início e ficou de fora do mata-mata pela Taça Piratini, deixando o clube pressionado para a Taça Farroupilha.

Porém, mesmo pressionado, foi no segundo turno do Gauchão que o ano começou a brilhar para o clube. O primeiro sinal de que o ano do centenário seria especial, foi nas semifinais em um duelo contra o Grêmio de Vanderlei Luxemburgo. Em um jogo eletrizante no Alfredo Jaconi, o Juventude de forma emocionante eliminou o tricolor nas penalidades máxima, para delírio de Lisca e toda papada.

Juventude fez grande partida contra o Grêmio

Agora a decisão era contra o Inter de D’alessandro, Forlan e Dunga. A equipe de Lisca precisava vencer o confronto para ser campeã do turno e forçar uma final contra o mesmo Inter. Novamente, em um jogo eletrizante, o Jaconero mostrou sua força, chegando até mesmo abrir o placar aos 10 minutos com o experiente Rafael Pereira, porém o gol foi mal anulado por Márcio Chagas. No decorrer do jogo, a partida continuou equilibrada, com chances para ambas as equipes, resultando em um empate por 0 a 0 no tempo normal. Nas penalidades máximas, diferente do confronto contra o Grêmio, o Juventude foi derrotado pelo Inter, mas nada que abalasse a moral do clube para o decorrer da temporada.

Juventude e Inter fizeram grande final

O Juventude estreou na competição mais importante do ano vencendo o Penapolense por 2 a 1, vitória que marcaria a boa classificação do clube na primeira fase do campeonato. Lisca classificou o Papo paras as oitavas de finais na 1° colocação do Grupo A7 com 15 pontos ganhos, em 8 partidas foram 5 vitórias e 3 derrotas.

Juventude brilhou na primeira fase

Após a boa classificação na primeira fase, os jogos mais importantes para o centenário do clube estavam por vir, o mata-mata. O mês de setembro de 2013 iria definir se a temporada seria boa ou não para o clube, em 15 dias o Juventude decidiria estar na Série C de 2014, ou passar por mais um ano na quarta divisão do futebol brasileiro.

O Juventude não teria moleza para conquistar o acesso, o primeiro adversário no mata-mata foi o forte Londrina do Paraná. No jogo de ida, no estádio do café, o Jaconero foi derrotado pelo placar de 1 a 0, sendo obrigado a virar o jogo na partida de volta, no Alfredo Jaconi. A semana foi cercada de expectativa na serra gaúcha, a papada reunia suas energias positivas para influenciar o time na virada, e no fim, presenciaram um jogo histórico.

Até aos 42 minutos do segundo tempo, a equipe de Lisca estava dando adeus ao sonho de conquistar o acesso no ano do centenário, mas de forma heroica, o ídolo da papada, Zulu, mudou a história.

O Juventude fez seu papel de mandante e pressionou o Londrina desde o início do jogo, abrindo o placar aos 20 minutos com Rafael Pereira. O gol só serviu de motivação para a equipe de Lisca continuar pressionando o rival paranaense, em busca do gol da classificação. O primeiro tempo terminou com forte domínio dos donos da casa, e o início da segunda etapa seria da mesma forma. No primeiro lance, Diogo Oliveira lançou Zulu que saiu na cara do gol, e foi parado pelo goleiro Danilo, que defendia o Londrina antes de brilhar pela Chapecoense. Porém, quem perde muitas chances, sempre corre o risco de se complicar na partida, e foi o que aconteceu. Aos 23 minutos do segundo tempo, Gerley furou e Celsinho empatou a partida. Naquele momento do jogo, o Juventude precisava de dois gols para avançar de fase.

A injustiça é cotidiana no futebol, mas naquele domingo em Caxias, no Alfredo Jaconi, a justiça teria que ser feita. Aos 42 minutos, Zulo de pênalti colocou o Juventude na frente, e o Jaconero teria poucos minutos para conquistar uma vitória épica e ‘salvar’ o centenário. E na base do abafa, após lançamento na área, Brenner disputou o lance e a bola sobrou para Zulu, que mandou para as redes, fazendo o Alfredo Jaconi explodir de alegria.

Vitória histórica contra o Londrina marcou o acesso do Juventude

A classificação histórica garantiu uma conexão especial entre a torcida e aquela equipe, Rafael Pereira, Diogo Oliveira, Zulu, Brenner e o técnico Lisca já eram ídolos da torcida, mas ainda faltava um obstáculo. Restavam dois jogos para o Juventude conquistar o seu objetivo, e dessa vez, o adversário era o Metropolitano, de Santa Catarina.

Quatro gols, dois cartões amarelos e duas expulsões. O que não faltou foi emoção no primeiro embate entre Metropolitano e Juventude. A classificação para a Série C por pouco não foi ‘conquistada’ em Santa Catarina. Aos 34 minutos do segundo tempo, a equipe de Lisca vencia o rival por 2 a 1, mas em uma cobrança de falta, o Metropolitano conseguiu empatar o jogo.

Na partida decisiva de volta, os atletas do Ju levavam consigo o peso do clube estar na Série D há 3 temporadas, o que poderia ser uma pressão enorme, mas a papada lotou o estádio, dividindo a responsabilidade com os jogadores.

Foi um jogo difícil, truncado, com chances para os dois lados. O confronto no Jaconi ganhou proporções dramáticas no final da partida, a partir de um lance de muito perigo para o time de Santa Catarina, que quase marcou o gol. Em um rápido contra-ataque aos 33 minutos do segundo tempo, Alessandro encontrou Jones pela esquerda, que lançou Edmar. Livre, ele driblou o goleiro Fernando e tocou para o gol. Porém, o volante Chicão apareceu para salvar em cima da linha, salvando o Ju.

Após o apito final, acabou o sofrimento e começou a festa. O centenário estava realizado, O ano de 2013 estava trazendo de volta o orgulho para a imensa torcedora do Juventude. Lisca e seus jogadores comemoraram muito com a torcida, que até mesmo invadiu o campo. Certamente não foi jogo mais importante da história de um clube que já foi Campeão da Copa do Brasil, mas a comemoração da torcida pelo acesso à Série C, mostra que o futebol é feito por amor.

“Acabou o sofrimento, acabou o peso. É muito pesado jogar a Série D. O Juventude é um clube que tem uma história maravilhosa, não poderia estar na terceira divisão. O clube penou, ficou um período sem série, mas ainda está longe de seu caminho. Ainda tem de trabalhar muito. Espero que isso inspire cada vez mais a diretoria e os jogadores. Toda responsabilidade era nossa. Talvez este tenha sido um dos jogos mais nervosos da minha carreira. O grupo não poderia deixar passar. Era tudo que sonhávamos” – destacou Lisca emocionado, ao fim da partida.

Lisca comemorando o acesso para a Série C

O Juventude ainda golearia o Tupi por 4 a 0, se classificando para a final do campeonato, conquistando a chance de colocar uma cereja no bolo do centenário. Na final, contra o Botafogo da Paraíba, o Ju venceu na Arena do Grêmio por 2 a 1 (partida não foi realizada no Alfredo Jaconi devido ao regulamento da competição), e dependia de apenas um empate para conquistar o título. Porém, na Paraíba, o Jaconero não suportou a pressão do rival e acabou perdendo o jogo, mas pouco importava, o Juventude estava de volta. O ano do centenário foi um sucesso, 2013 ficará para sempre marcado no coração dos torcedores apaixonados do clube.

Juventude enfrentou o Botafogo-PA na Arena do Grêmio

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

mais lidas

Renato perde a paciência e esbraveja contra a imprensa: “Quando eu tiver 200 milhões para gastar, podem me cobrar futebol bonito”

O Grêmio venceu o Bragantino, engatou quatro vitórias consecutivas e escalou até a oitava posição do Campeonato Brasileiro. Ainda assim, os três pontos não...

7 imagens que mostram como usuários do Instagram distorcem a realidade

Frame na TV versus foto no insta: Esqueceu de alterar a sombra... a J-Lo nem se deu ao trabalho de ter o produto em casa nesse...

CBF divulga datas das finais da Copa do Brasil e Grêmio terá problema caso Palmeiras vença Libertadores

O Grêmio já sabe as datas em que pode jogar as finais da Copa do Brasil. Agora, o tricolor só aguarda o desfecho da...

O que o Ypiranga precisa para garantir o acesso à Serie B

Mesmo na lanterna do Grupo D, o Ypiranga ainda pode garantir o acesso na última rodada do quadrangular da Série C. Neste sábado, o...