quinta-feira, 22/10/2020
Início Tricolor Em coletiva bastante crítica, Renato defende treinadores e dispara: "Jamais vou ficar...

Em coletiva bastante crítica, Renato defende treinadores e dispara: “Jamais vou ficar em algum lugar que esteja atrapalhando”

Na manhã desta sexta-feira, o técnico Renato Portaluppi concedeu entrevista coletiva logo após o presidente Romildo Bolzan e foi crítico do início ao fim. Renato descartou qualquer tipo de crise e admitiu sua parcela de culpa nos resultados ruins, mas foi veemente contrário às críticas exacerbadas por parte da imprensa e da torcida.

Segundo o treinador, a cobrança por terceiros é desumana e citou até mesmo o rival para provar seu ponto: “O Coudet é lider do Campeonato Brasileiro e vocês estão colocando ele em questão”, completando que se perder o Gre-Nal, a posição do argentino estará em cheque para a imprensa.

“Como vamos ter um futebol bonito, propositivo, se vocês não deixam o treinador trabalhar?”, seguiu Renato indagando. Segundo ele, um técnico não possui tranquilidade no futebol brasileiro e até mesmo os mais vencedores não possuem segurança nas suas posições.

Com uma sequência bastante negativa de apenas duas vitórias em dez jogos, Renato admitiu que já houveram épocas de vacas mais gordas no tricolor: “O momento do Grêmio não é bom, mas não é péssimo”. O técnico foi ainda além, afirmando que a culpa é de fato do seu clube, por ter acostumado seu torcedor a vencer todas as partidas.

A data de hoje não apenas de críticas, mas também de comemoração. Renato Portaluppi comemora quatro anos à frente do Grêmio, sendo o treinador mais longevo do futebol brasileiro. Foram títulos há muito tempo não conquistados e excelentes vitórias ao longo de todo esse período, mas o treinador não deixou de alfinetar: “Em 4 anos ganhamos muitos títulos e trabalhos dia a dia para ganharmos mais. Eu falo com muito orgulho. Estou há 4 anos no Grêmio. Nem um ET se descesse na terra ficaria tanto tempo”.

Para encerrar o assunto de seu cargo, Renato deixou claro que seu contrato não possui nenhuma multa de rescisão e que se julgar necessário, pedirá para sair: “Minha linha com o presidente é direta. Sempre resolvi meu contrato com o presidente em 5 minutos. A hora que eu achar que estou atrapalhando, eu resolvo isso na hora. Eu jamais vou ficar em algum lugar que eu esteja atrapalhando”.

O último assunto tratado foi dentro de campo. Renato respondeu duas perguntas táticas. Na primeira, deixou claro que não irá alterar sua maneira de jogar e que o Grêmio jamais irá se apequenar e jogar por apenas um bola. Na segunda, afirmou que os jovens das categorias de base podem ajudar muito e que Jean Pyerre dificilmente deve atuar como volante por não ter características defensivas.

O Grêmio entra em campo neste domingo para enfrentar o Palmeiras. A partida será às 16h na Arena e o tricolor deve levar a campo uma equipe alternativa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

mais lidas

Especial: Jogadores Vira-Casaca na década de 90

Na primeira parte desta matéria mostramos os 25 jogadores que viraram a casaca no século 21. Agora, chegou a vez dos anos 90, que...

Desenvolvedores criam mapa de corrida de carro baseado em Porto Alegre

Já pensou em disputar uma corrida de carro na orla do Guaíba? Ou então passear em alta velocidade pelo Beira-Rio e Arena do Grêmio?...

Jogadores do Grêmio publicam nota conjunta: “Nos respeitem!”

Após o Grêmio divulgar o adiamento de parte dos vencimentos dos jogadores, os atletas tricolores foram às redes sociais comentar sobre o assunto. Publicaram...

Jogo do Grêmio terá narração de Luiz Alano e comentários de Mauro Galvão. Saiba mais:

Já está definida a escala do SBT para o confronto do Grêmio na Libertadores nesta quarta, às 21:30, contra a Universidad Católica. O narrador...